Wednesday, September 30, 2009

Foi você que pediu..


Com estas trapalhadas todas do primus inter pares da república, já para não falar das dos anteriores titulares do cargo, continua a espantar como é que ainda ninguém se lembrou de um regime melhor...

Claro que o objectivo não é ganhar com a derrota dos outros, mas quando o republicanismo anda pelas ruas da amargura convém recordar que há estabilidade, pelo menos institucional, nas grandes monarquias europeias, onde seria impensável estes episódios sucederem...

9 comments:

Anonymous said...

Boa, qualquer coisa que aconteça e vai-se logo buscar a salvadora monarquia. Estabilidade institucional é o que não falta em Estados monárquicos (excepto quando rebentam aqueles escândalos das famílias reais).
Mas agora digam-me lá: que legitimidade tem qualquer família de estar no topo de um país quando nada(excepto os laços sanguíneos)nem ninguém a escolheu para lá estar?

Quizzer said...

Muito bem Tiago! Acabo de espalhar a palavra pelo Facebook.

É hora! Venha o Rei!

Anonymous said...

VIVA A MONARQUIA!!!!

Fora com os Maçons Socialistas de merda.

Anonymous said...

Ao primeiro anonimo pergunto, alguem votou na filha do cavaco e respectivos netos para alguma coisa?chega de ter que os ver em cerimonias e a passear pelo palacio!Familia real so ha uma!e nao é a dos labregos de boliqueime

Anonymous said...

Ninguém votou na filha ou em qualquer outro membro da família do Presidente da República, votaram no Senhor Professor Cavaco Silva. E sua família acompanha-o como é normal em qualquer família.
E quem votou na família de monárquicos que nunca fez nada para merecer estar no poder? Ou estarão a dizer que o laço sanguíneo é um factor de legitimidade perfeitamente racional??

D.P.V said...

O problema do presidente e a insenção, ou falta dela.
De Cavaco as voltas que der será sempre do PSD, Soares esse nem se ensaiava a fingir que era isento, era PS e pronto.Já Sampaio bem tentou disfarçar mas quando foi altura de derrubar um governo maioritário na asembleia( algo nunca feito em cem anos da famosa republica) para lá por os seus camaradas do punho fechado (agora rosa) não esteve com meias medidas.
Com os reis isso não sucede, em termos de estabilidade governativa dá 10 a zero aos presidentes.

Anonymous said...

Nem mais DPV. Disseste tudo

AEP said...

A todos os republicanos, mesmo os letrados que volta e meia "aventam postas" para enganar o pagode falando em reis como se D.Afonso Henriques se tratasse, de espada em riste, a malhar a torto e a direito, aconselho a leitura do livro "Correspondência entre D.Carlos e João Franco de Castelo-Branco". Aí talvez aprendam como se deve portar, e sempre se portou, um Chefe de Estado constitucional. Deliciem-se com essa leitura e arranjem algum tipo de comparação possível entre um Rei, D.Carlos, e os 3 últimos presidentes....Se quiserem, claro.

Anonymous said...

D. Carlos? Esse não foi o tal que levou um "balázio" nos peitos? Pois talvez isso seja sinónimo de estabilidade para vós.
Ao menos nenhum nosso Presidente sofreu terrível destino.
E continuo sem ter conhecimento de algum argumento que justifique a "legitimidade sanguínea" de um rei.
E mais uma coisa: quem nos diz que um rei não terá preferências partidárias? A mim parece-me crer que D. Duarte Pio deve ter alguma simpatia com o PPM, esse belíssimo partido!