Tuesday, January 20, 2009

queda das máscaras

Ainda antes de começar a discussão pública percebe-se, desde já, o porquê da hipocrisia da proposta do casamento gay...

Tal como se anuncia "Opus Gay quer consolidar o casamento primeiro, para lutar pela adopção mais tarde" esta inocente proposta do Sócrates é um abrir da caixa de pandora...

Agora resta ler, com muita atenção, o programa de governo que o P.S. vai apresentar às próximas eleições para verificar como vão por em prática esta maquinação:

- A proposta inclui casamento e adopção?

- A proposta é para ser aprovada em A.R.?

- Se for em referendo, qual a pergunta que vão propor?

Enfim, toda uma série de questões que, em tempo de crise, não deveriam ser preocupantes numa campanha eleitoral mas que, perante a ameaça do P.S., podem e devem ser discutidas à exaustão nas próxima legislativas.

Com esta proposta, aliás, vê-se bem a intenção de Sócrates e a forma interesseira como põe e dispõe do país numa das alturas mais sensíveis para a nossa economia e a nossa existência.

Num ano em que é necessário discutir a crise económica, arranjar soluções e, acima de tudo, arranjar consensos, Sócrates lança um tema que em nada vai ajudar essa reflexão e a esses consensos.

O principal problema é que, tendo em conta este novo e importante tema da política nacional, também a oposição se vai ver constrangida e maneatada nas suas opções.

Ou seja,

Será que convém votar no PSD? Partido que, após a derrota eleitoral vai certamente enveredar pelo neo-liberalismo de Pedro Passos Coelho que já disse ser favorável à medida...?

Ou será que compensa votar neste CDS? Partido que, após este fim de semana, promoveu à sua vice-presidência uma senhora que aparece destacada no site da Opus Gay a defender publicamente a medida...?

Resta também ver o que estes dois partidos vão dizer sobre o tema nos seus programas de governo e (des)esperar que não roam a corda após as eleições e respeitem o contrato com o eleitorado...